Bicheira em cães – diagnóstico e tratamento

Bernes e bicheiras infelizmente são comuns no nosso clima tropical brasileiro. No calor elas infestam áreas urbanas e rurais, e nossos cãezinhos podem ser facilmente afetados.

Os cães de rua, infelizmente são os mais afetados! Sempre estão sujeitos a maus tratos, brigas e como consequência, se machucam e como não tem ninguém para tratar, as moscas acabam sentando e depositando as larvas, que comerão esse bichinho vivo até a morte ou até uma alma caridosa o resgatar e cuidar. Muitos cães não cuidados acabam sofrendo grandes consequências, pois essas larvas, se alimentam de carne viva, e a fase da larva geralmente é a maior parte da vida desses insetos.

Vamos descobrir o que é berne e o que é bicheira e o que fazer nesses casos.

São conhecidas como parasitas, pois se alojam no hospedeiro e se alimentam de sua carne.

Mosca Varejeira, responsável pelas bicheiras.

A mosca varejeira é muito conhecida e temida, é aquela mosca maior do que as comuns, com um cintilante esverdeado sobre as suas costas, deposita seus ovos no corpo de outras moscas, mais leves e menores, as quais os hospedeiros não se incomodam tanto com o seu peso. Esses ovos caem na pele e eclodem, as larvas saem e Bicheira em cães - diagnóstico e tratamentopenetram na pele, como geralmente os mosquitos são atraídos por ferimentos, é mais provável que isso aconteça em uma ferida aberta. As larvas penetram para dentro do hospedeiro e começam a se alimentar da carne desse animal e vão aumentando de tamanho e consequentemente, aumentando o tamanho do buraco no corpo do hospedeiro, causando feridas horríveis, doloridas e muitas vezes infeccionado. Essas larvas, podem permanecer por mais de um mês no corpo do hospedeiro, por isso temos que estar sempre atentos.

O berne:

A mosca (Dermatobia hominis) é a mosca do berne, que deposita somente uma larva, que fica em tamanho grande, e sua ferida se parece com um nódulo (caroço) com um pequeno buraquinho, onde muitas vezes não é possível ver a larva, somente secreções da ferida. Como muitas raças de cães são peludas, o dono pode só perceber quando o berne já está grande, ao ver o cão se lambendo.

O berne é retirado através da pressão, se espreme até que a larva saia inteira pelo buraco. Como o buraco é pequeno, muitas vezes há dificuldade em tirá-la quando está grande demais, e se também estiver muito pequena, ás vezes não saem com facilidade ao espremer. O ideal é levar em um veterinário para que ele possa retirar e fazer os curativos. Se a ferida do berne não for curada, a mosca da bicheira pode sentar e transformar esse orifício em algo muito maior com dezenas de bichos comendo o animal vivo.

Berne – esses pontinhos escuros em seu corpo mole, são espinhos que irritam o hospedeiro cada vez que ele se movimenta.

Se encontrar a larva preta ou com uma casca endurecida e marrom, ela já está na fase da pupa, onde ocorre a metamorfose da larva para a mosca.

A Bicheira.

(Cochliomyia hominivorax) é a mosca responsável pela bicheira, que deposita várias larvas em um ferimento. A bicheira causa lesões graves, pois geralmente são muitas larvas se alimentando de um só lugar no corpo do animal, podem fazer buracos enormes, lesionar órgãos do animal e até podem perder membros lesionados por essas larvas! É de caráter urgente a sua extração e limpeza. É caracterizada por um ferimento com abertura de 1/5cm até tomar proporções gigantescas, e dentro desse ferimento, ficam pequenas larvas amontoadas, comendo a carne do animal hospedeiro. Ao apertar, é possível ver elas se mexendo rapidamente. Em uma bicheira pode se encontrar mais de 100 larvas. Quanto mais tempo elas fiquem no hospedeiro, mas a fundo elas vão adentrando.

O tratamento consiste em usar um produto que borrifado dentro da ferida, mata esses vermes, e depois são retirados um a um com pinça, até se certificar que  não exista mais nenhuma larva no interior da ferida. Depois disso a ferida é limpa com produtos antissépticos e produtos que protegerão a pele de infecção e de novas larvas.

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado.